Test-drive

Algumas farmácias estão cada vez mais inovando ao vender medicamento. Um jeito bem curioso que vi, foi para medicamentos para disfunção erétil.

Pegaram medicamentos para tratamento de impotência sexual, foi montado o “Kit” e fizeram uma promoção, com o intuito de ajudar o cliente a escolher o mais iria agradar.

Read more »

Como age no corpo o medicamento para disfunção erétil?

Dúvida muito comum, tanto para homens quanto para mulheres, é saber sobre os efeitos e reações de um medicamento para impotência sexual. Explicando melhor como funciona o membro masculino, fica mais fácil de entender como age o Viagra e o Cialis.

 

Read more »

Existe Cialis genérico?

O Cialis, é um medicamento para tratamento de disfunção erétil a base de Tadalafila, e chegou em maio de 2003 no Brasil e pela eficácia e efeito prolongado em relação do Viagra, causou muita procura no medicamento.
O valor dele é ligeiramente mais alto do que o Viagra e por esse motivo as pessoas começaram a procurar sua versão genérica.

Read more »

Insatisfação Sexual

A falta de informação tem sido um problema na vida de muitos homens, sexualmente insatisfeitos, sentem dificuldades em sair da situação, devido diversos fatores que vão desde o psicológico ao orgânico.
Também, uma das dificuldades encontradas é a vergonha de comentar com os amigos ou até mesmo a (o) companheira (o) o que está acontecendo e ficar com uma fama ruim no ciclo social.
Normalmente, quanto não tem ninguém vendo, vão eles, até a internet para fazer consulta e se deparam com mais pessoas na mesma situação. Bate-papos, fóruns estão recebem milhares de usuários por dia em busca de informações. A internet tem sido uma grande aliada, pois trocam informações e mantém o anonimato do individuo.
A insatisfação sexual se for causado por situação psicológica: ansiedade, depressão, sentimento de culpa, stress relacionado ao medo de falhar na hora “H” são as mais comuns.
A redução do fluxo sangüíneo e acaba comprometendo a ereção, pode ser caracterizada como orgânica, acontece por problemas de saúde e também tem relação ao hábito de consumo de droga, álcool e fumo.
A psicológica e a orgânica podem ter ligação. Independe do caso, é recomendável procurar orientação com um profissional de saúde qualificado. Existe tratamento, é fácil de ser diagnosticado. O tempo de cura, pode variar de acordo com cada paciente, mas quase sempre o médico consegue dar uma previsão.
O tratamento pode ser feito com Cialis ou Viagra, que podem ser tranquilamente encontrados em farmácias de bairro. Tem compostos diferentes, então o paciente não precisará ficar preocupado caso ter sensibilidade a um dos componentes terá outra opção.
O Viagra é composto de Citrato de Sildenafila e já pode ser encontrado em versão genérica. E o Cialis é composto de Tadalafila, ainda não há genérico.





Relacionamento O que estava faltando para melhorar?

Levando a vida mais tranqüila, estabilidade, saber como as coisas funcionam é tão bom, não é verdade? Às vezes com todo esse que a experiência de vida e o conforto, acabam se esquecendo de buscar coisas novas para sua vida, resultado? Rotina!
Não muito tempo depois, como conseqüência o tédio chega sem ser convidado e vira companheiro da rotina, e qual o resultado agora?
Pequenos motivos passam a ser desagradáveis e vêm as discussões… cria-se uma nova rotina. Não mais tranqüila, começam a interferir na vida sexual do casal e nem sempre a pró-atividade em resolver o problema aparece. A sorte deste relacionamento está lançada! Há duas situações bem comuns, sendo a primeira, “tentar de novo” e o “ponto final”. Qual você escolheria?
Para os que decidem o “tentar de novo”, é um caminho longo com espinhos que você vai acompanhado e os que preferem “ponto final” o caminho é o mesmo, a diferença é que vai estar sozinho. Ambos têm o risco de dar certo e errado.
Convenhamos que o “tentar de novo” acompanhado é mais fácil e que machuca menos os sentimentos envolvidos. Não basta só tentar corrigir a rotina, incluindo novas atividades de lazer, tem que dar uma apimentada na parte sexual também e isso tem que ter comprometimento dos dois.
Alguns homens optaram em usar medicamento que pudesse prolongar a ereção com a intenção de dar mais prazer. Os que buscaram um produto com essa finalidade obtiveram a satisfação que usando o Cialis, pois prolonga mais o tempo de ereção do que outros medicamentos.
Infelizmente, para as mulheres ainda não tem medicamento equivalente, para cumprir sua parte nesta nova tentativa, uma vez que o parceiro vai estar mais disposto, a única opção é se deixar levar por novas posições, fetiches e entre outros atrativos que sejam agradáveis para os para os dois.

Timidez

Fazendo algumas pesquisas na internet sobre relacionamento, li comentários de muitas pessoas ainda têm muita vergonha de falar de sexo, até mesmo pessoas que são casadas.
Depois do casamento, o nível de intimidade deveria aumentar principalmente em determinados assuntos, afinal, por que as pessoas têm vergonha de conversar sobre sexo com o (a) companheiro (a)? Não era para ser ao contrário?
Acredito que as pessoas que gostam de sexo e são tímidas, evitam o assunto decorrente de um comportamento característico de trauma, criação (base familiar) e/ou até mesmo a idealização específica sobre matrimonio (construção de uma família, companhia e compartilhamento de sentimentos apenas), por motivos religiosos outras acham que é “feio”, “sujo”.
Para esta pessoa, que não acostumou os “ouvidos” com assuntos relacionados, deve ser difícil ouvir e falar sobre o assunto, se limitando apenas ao que foi ensinado e vivido. Devemos respeitar a sensibilidade da pessoa em relação ao assunto, mas o problema é quando você deve conviver com esta pessoa e você não é assim, como proceder?
O ideal é conversar sobre assuntos indiretamente relacionados ao sexo, que não seja nada muito “forte”. A finalidade é ser sutil e não “assustar”. Deve ser conversado, bem aos pouquinhos, até a pessoa ir se sentindo a vontade.
Se estiver progredindo, vá introduzindo novos assuntos. Requer paciência, muita mesmo! Mas se você gosta desta pessoa e quer ter uma relação saudável, você será persistente o suficiente para conseguir.
O sexo é importante para o casamento, se não houver diálogo “aberto” sem pudores tem uma grande probabilidade de não durar ou viverem de forma infeliz.
Antigamente, quando a idade vinha avançando e homem não conseguia mais manter relações devido à disfunção, simplesmente não falavam sobre o assunto, e mantinham o casamento sem sexo, amargurados por não terem a mesma virilidade de antes, por não haver tratamento.
Hoje em dia, há tratamento, conhecido como “comprimido do amor”, o Viagra, composto de Citrato de Sildenafila é comercializado em diversas farmácias e sua versão genérica tem um preço acessível, sua dosagem varia de 20mg, 50mg e 100mg. Não se esqueça de procurar uma orientação médica!
Imagina quando a idade está avançando, e alguns problemas em relação ao sexo começar a aparecer? É bom já está com o psicológico preparado e ter uma companhia que poderá compartilhar e dar apoio nesse novo momento da sua vida. Já conversou com seu (sua) parceiro (a) hoje?

Viagra e doenças pulmonares

Fabricado pela empresa PFIZER, o composto base do Viagra é o Citrato de Sildenafila. Recomendado para homens com mais de 50 anos é utilizado para tratamento de disfunção erétil, mais conhecida como impotência sexual.
Antes de ser comercializado com a finalidade de tratar impotência, este medicamento estava sendo desenvolvido inicialmente para o tratamento da angina e dilatar dos vasos sangüíneos, relacionado à hipertensão pulmonar.
Pacientes, homens, que estavam tratando de hipertensão pulmonar, com este medicamento perceberam que a droga causava excitação no órgão genial masculino. Essa reação chamou atenção dos médicos para os outros efeitos da droga e que poderiam servir para tratamento outras doenças.
Depois de muitas pesquisas, o Viagra passou a ser comercializado para o tratamento de disfunção erétil e ficou conhecido somente para esta finalidade.
Para recém nascidos que possuem o problema de hipertensão pulmonar, o tratamento é feito com óxido nítrico, por meio de um respirador, porém não é tão eficiente quanto o uso de Viagra.
A informação de que o Viagra poderia ser usado para este tipo de tratamento em crianças, causou temor e desconfiança na maioria dos pais que precisavam tratar essa disfunção pulmonar em seus filhos.
Acredito que este receio da população sobre ministrar o remédio em crianças, vem da falta de informação em relação ao passado da droga. As pesquisas estão sendo aprimoradas, pois ainda há muitas dúvidas de como seria a reação em crianças, devido aos efeitos tóxicos e órgãos não totalmente desenvolvidos da criança.
Possivelmente não vai demorar muito para dar a certeza de que este medicamento poderia ter outros usos. Sobre o Cialis, não houve relatos de sua utilidade para tratamento de outras doenças.
Nenhum medicamento deve ser usado sem acompanhamento médico, pode ser prejudicial à saúde.

Viagra funciona mesmo?

Com toda a fama e demanda muita gente ainda questiona a eficácia do produto, não se preocupe, esta questão é normal, milhares perguntam a mesma coisa.
O sexo, sensação, ereção são experiências bem particulares, boa parte delas é até difícil colocar palavras para descrever. Por ser tão intimo, levam a dúvida se funcionaria com o próprio, e não de forma mais generalizada como indagam. A pergunta que não quer calar? Sim, funciona sim!
Para tudo! Tem um detalhe aí, que você precisa me contar, como está sua libido? À flor da pele? Cheio de “tesão”?
Se sua resposta for positiva, ótimo! (Agora eu deixo você sair comprar seu “comprimido da felicidade”, vulgo Viagra e cair na farra). Não se esqueça é necessário estímulo sexual para que faça efeito, ok?
Porém, se a resposta for negativa; – Meu amigo, acho melhor você tentar resolver esse detalhe antes. O Viagra, genérico ou não, vai dar força que você precisa para sua “maquina do amor”, mas se não estiver afim, não vai adiantar e o resultado pode ser muito ruim para sua auto-estima.
A forma que você pode resolver isso é questionando a si mesmo sobre algumas coisas simples: Por que meu “tesão” foi embora? Como está minha saúde? Estou estressado com alguma coisa? Com quem quero fazer sexo, me agrada? Quando começou essa sensação? Sempre estive assim e só percebi agora? Vida rotineira?
Tente chegar à conclusão, se é psicológico ou seu corpo não está querendo acompanhar em suas empreitadas. De qualquer modo, com dificuldade ou não, procure uma orientação médica. Às vezes ter satisfação é tão fácil de conseguir, para que complicar?

Noitada + Viagra = Combinam?

Os jovens vão para noite para dançar, beber, conversar com os amigos e em busca de sexo… Enfim, diversão é a palavra!

Quando situação deixa de ser apenas uma paquera e começa “esquentar os motores” alguns homens se sentem inseguros por não saber se vão conseguir ter ereção na hora certa e agradar sua (seu) parceira (o).

Mesmo que ele não sofra de disfunção, esse fator psicológico acaba causando um grande stress e por algumas vezes comprometendo o resultado da “pegada”. E cada vez acaba ficando pior, porque o homem vai se cobrar ainda mais nas próximas vezes. Com isso, toda vez que os “motores” começarem a esquentar novamente ou até mesmo a simples palavra “Sexo” passa ser motivo de pânico!

Além da insegurança, outros fatores que contribuem para essa possível situação aterradora, é a falta de experiência, cansaço (ter trabalhado o dia todo e “virar a noite” e ainda querer a “trepada” perfeita), ingestão de bebidas alcoólicas, fumo, drogas ou até mesmo alimentação não muito saudável.

O corpo acaba ficando com a “bateria” fraca. A pergunta que não quer calar, mas será o que “cara” não percebe isso? Resposta simples, a maioria não.

Aí vem a idéia de que precisa de algo para fazer levantar a “moral” e não fazer feio e a primeira coisa que normalmente vem em mente é o Viagra.

Na próxima “saideira” o rapaz passa na farmácia antes e vai munido, quando percebe que algo mais quente vai rolar, toma e começa a aguardar o efeito, e continua bebendo e tal… Aí que mora o perigo, bebida + viagra = pode ser que tenha o efeito que deseja, meu caro…

Já houve relatos de fortes efeitos colaterais dos mais diversos tipos e não tendo o efeito desejado, portando, cuidado! Ao invés de você ter uma noite legal e ser homenageado como o Super-Homem, pode acabar ficando com outra fama…

O uso pode do medicamento pode te ajudar a ter uma ótima noitada, mas deve tomar alguns cuidados e ser usado com sabedoria. Mas antes, não se esqueça de pedir uma orientação médica, ok?

Mulheres e o “Comprimido do Amor”

Com o passar dos anos, aquele ritmo que o casal tinha, já começava a não ser mais o mesmo. A idade vinha chegando e sexo ficando apenas na memória.

Quando foi anunciado o “Comprimido do Amor”, o Viagra causou certo furor e muita ansiedade nos casais que já estavam considerando o fim da “diversão adulta”, devido idade ou problemas de ereção.

Homens sofreram para encontrar o medicamento, o laboratório não esperava tamanha demanda pelo medicamento. Os homens estavam recuperando sua vida sexual e a auto-estima, para eles, estava ficando “tudo azul” pela satisfação, mas espera um minuto, e o que as mulheres diziam sobre o assunto?

Inicialmente as coisas começaram a encaminhar bem, para homens e mulheres, ambos satisfeitos! Mas, depois de um tempo este medicamento passou a ser um “terror” para classe feminina!

Com os problemas no avanço da idade, mulheres também sofreram alguns pesares assim como os homens. E a menopausa começa a causar interferência na vida sexual da mulher.

Na menopausa, os hormônios: progesterona (hormônio feminino) e a testosterona (hormônio masculino) progressivamente caem.

A testosterona está relacionada à libido, naturalmente é encontrado em baixa quantidade no corpo da mulher, quando ausente ou em quantidades mais baixas que o normal causa a falta de libido.

Um novo dilema foi criado, onde elas não tinham mais “paz”, uma vez que seus companheiros estavam dispostos a ter relação e elas querendo apenas dormir.

A ausência de libido fez muitas mulheres procurarem tratamento médico. Boa parte conseguiu sucesso no tratamento, com a finalidade de ter equilíbrio ao novo momento que se iniciava para o casal.

Para mulheres que não chegaram à menopausa, e tinham parceiros que apresentavam problemas, foi à solução perfeita buscar tratamento com Viagra ou Cialis, foi muito mais fácil adquirir a mesma sintonia, de acordo com algumas pesquisas.

Para os homens o tratamento é mais fácil, Viagra e o Cialis, estão aí para provar, mas para não há previsão de quando estará disponível um medicamento o público feminino ainda.

Muitos homens, mesmo não tendo problemas de disfunção, usam o produto para conseguir dar mais prazer à suas companheiras, por conseguir manter a ereção por tempo mais prolongado e/ou por mais vezes.

Dos rapazes que contaram à suas parceiras sobre o consumo do produto, dizem que não houve discriminação e que gostaram da disposição que os parceiros ganharam com o uso do medicamento, segundo pesquisa.

Outra coisa importante, o uso abusivo por quem não precisa do tratamento pode ser perigoso e para mais esclarecimentos é recomendado procurar um profissional de saúde qualificado.

Viagra x Cialis

Existem alguns tratamentos para impotência sexual, mas os que comprovadamente se mostraram mais eficientes foram: Viagra e Cialis, tanto nas suas versões originais e genéricas.
Estes medicamentos criaram grande fama por terem ação, tempo e número de ereções mais satisfatórias em relação aos outros tratamentos.
Vamos comparar suas características:

A relação entre o Viagra genérico não há quase diferenças das principais informações do produto, somente em questão do preço.
Sobre o Cialis original, é possível existir o genérico aqui no Brasil, como não foi autorizado, não será possível comparar.
Comparando o Viagra com o Cialis, em sua versão original, podemos concluir que o Viagra tem o preço mais acessível e menor tempo de efeito, já o Cialis, tem o maior preço e tempo de ação no corpo. Ambos e em raros casos foi relatado dores de cabeça e efeito placebo.
Como são substâncias diferentes, o efeito pode ser diferente em cada pessoa, o ideal é verificar se não há sensibilidade buscando auxílio médico.

Tipos de Disfunção Erétil

Quando pensamentos e sentimentos perturbadores começam a assolar a vida de um homem; – sozinho, sem apoio médico e/ou orientação adequada, dificilmente ele consegue compreender o motivo de não ter mais ereções com a mesma virilidade de antes. Como conseqüência, se sente culpado antes mesmo de tentar entender o que e por que está ocorrendo, com isso, o problema só piora… O ideal é buscar ajuda e orientação médica e psicológica para resolver o problema de forma mais tranqüila.

É um “alívio”, quando sabemos o que está acontecendo e há solução, que é o caso deste problema.  A disfunção erétil (vulgo impotência sexual) pode ser causada por 02 situações: a psicológica e a orgânica.

A psicológica, normalmente ser associada à ansiedade, depressão, sentimento de culpa, stress relacionado ao medo de falhar na hora “H” ou não conseguir satisfação própria, bem como a da (o) parceira (o). Como conseqüência, causa a redução do fluxo sangüíneo e acaba comprometendo a ereção.

Já a disfunção orgânica, decorre por insuficiência vascular na região do pênis, relacionados diretamente a problemas de saúde, hipertensão e diabetes, comuns para homens com mais de 50 anos e/ou devido hábitos não muito saudáveis como: fumo, álcool e drogas. A disfunção orgânica pode estar atrelada com a psicológica também, em sua maioria como conseqüência.

O tratamento para disfunção psicológica é mais simples do que a orgânica e normalmente leva menos tempo para a cura. O uso do Viagra ou Cialis, depois de sofrer avaliação médica, é recomendado, mas seu uso não é necessário para todos os casos.

Para o tratamento da disfunção orgânica, na maioria dos casos é indicado o uso do medicamento, exceto por alguma sensibilidade ou restrição devido ao uso de outros medicamentos.

O tratamento mais eficiente e rápido, até o momento, foi por meio de medicamentos a base de Citrato de Sildenafila e Tadalafila, mais conhecidos como Viagra e Cialis. Mas, o único que é comercializado no Brasil e tem sua versão genérica é o Viagra. Há laboratórios que pretendem fabricar o genérico do Cialis, mas, estão aguardando a liberação da patente para começar a produzir o medicamento.

Viagra no Brasil

Em 1998 foi lançado o Viagra, depois desta data a vida sexual dos brasileiros mudou e muito e de acordo com pesquisas, foi para melhor.
O medicamento composto de Citrato de Sildenafila, comumente conhecido como Viagra, é fabricado pela empresa Pfizer e completará 13 anos em Junho de 2011.
Com a finalidade de tratar disfunção erétil, principalmente para homens acima de 50 anos, ganhou mercado por sua eficiência, para um consumidor com faixa etária abaixo da recomendação.
Desde o lançamento, a cada dia muitos homens buscam o medicamento pelos mais diversos motivos: tratamento, curiosidade, melhora no desempenho entre outros.
Para tratamento a média etária que procurava o produto era homens acima de 40 que começaram a sentir os efeitos da idade chegando, e também hábitos não muito saudáveis, como o fumo, drogas ou álcool.
No quesito melhora de desempenho, ficou entre 30 e 39 anos. E os homens com 18 e 29 anos se mostraram mais “curiosos” em consumir o produto.
Da abordagem feita, foi questionado se houve o diálogo com a (o) parceira (o) sobre o tema;
Dos homens que optaram em conversar sobre o assunto, não foram alvo de preconceito e outros optaram não tratar o assunto por vergonha.
É um produto de fácil acesso e não requer receita médica, mas como todo medicamento ele deve ser recomendado por um médico. Vendido em dosagens de 20mg, 50mg e 100mg com embalagens que variam de 2 a 8 comprimidos, podendo ser encontrado em algumas regiões a venda fracionada do produto.
Seu preço varia de R$ 12 a R$ 40 por comprimido de acordo com sua dosagem.
Já existe sua versão genérica que também pode ser facilmente encontrada nas farmácias, com a mesma composição e efeito, mudando somente o laboratório que é produzido tem um preço bem acessível variando de R$ 3 a R$10 por comprimido.
Alguns anos depois chegou o Cialis, um medicamento concorrente, similar ao Viagra, porém com princípio ativo diferente.

Viagra ou Cialis podem viciar?

Um dos mitos que rondam a cabeça dos homens quando sugerido algum remédio para este tipo de tratamento, é o temor de depender do medicamento para ter ereção. Nem sempre associam o medicamento ao tipo de tratamento.
Supomos que você está com gripe, vai até o médico, que por sua vez dará o diagnóstico e tratamento correto. Logo, ficará bem em menos tempo com mais segurança, do que tentar esperar a melhora ou usando manipulações baseadas em crendices populares.
Assim como qualquer doença diagnosticada, se há tratamento, o quanto antes for tratado, melhor e mais ágil será a recuperação e cura.
Na realidade, o único fator que possivelmente faria alguém ficar dependente do remédio seria o psicológico, o medo de falhar na hora “H”, mesmo para os homens que não possuem problemas de ereção, ficam com receio de cometer a tal “gafe” e acabam aderindo ao uso contínuo do produto.
Nenhum componente usado para fabricação de Viagra ou Cialis, em sua versão original ou genérica, causa dependência, independente da sua dosagem. Esta informação esta de acordo com várias pesquisas, feitas fabricantes e institutos de saúde especializados.
Portanto, todo tratamento ele deve ter um início e um fim, se cuidado corretamente. O tempo que leva o tratamento total, deve ser prescrito por um profissional de saúde qualificado, relembrando que pode variar de paciente para paciente.

Tabu

Algumas culturas têm visão do Brasil, de um país praticamente sem “tabus”, por vários motivos, acredito que o principal causador desta visão seja o Carnaval, mulheres e homens exibindo corpos praticamente nus em meio de danças sensuais. Impossível não pensar em sexo, concorda?
Mas, no dia a dia, é mais que comum ter situações que as pessoas julgam como comprometedoras e/ou difíceis de explicar, que causam algum comportamento constrangedor, aí vêm à tona o “tabu” principalmente quando se trata de sexo.
Quando o homem percebe a necessidade de adquirir um medicamento para disfunção erétil, com o intuito de tratamento, já está propenso a se sentir inferiorizado por não conseguir mais o mesmo desempenho que tinha quando mais novo.
Com o tempo, mesmo que ninguém saiba que o problema começou ocorrer, por motivos psicológicos, à maioria acaba entrando em depressão. Achando que é motivo piadas entre colegas, acha que vai perder a (o) parceira (o) entre outras situações. Outro caso mais comum para uma barreira é na hora de comprar o medicamento, já pensou nisso?
Normalmente os homens que procuram o medicamento, vão a farmácias que não são do mesmo bairro em que moram, pois se sentem envergonhados, tem o receio de encontrar alguém conhecido ou até mesmo ser vítima de alguma “fofoca” no bairro por parte do funcionário que vai atendê-lo.
Preferem ser atendidos por exclusivamente por homens com a mesma faixa etária, de forma discreta. Infelizmente nem sempre é assim que acontece. – “Chegando lá na farmácia, vem “aquela” atendente bonitona me atender ou tem alguém perto que não seria interessante em ouvir que você gostaria de comprar um remédio para impotência sexual, é frustrante…” diz B.A. consumidor do produto.
Uma sugestão para quem está passando por esta situação, é fazer uma listinha de coisas que você gostaria de adquirir na farmácia e na mesma contendo o nome de “comprimido do amor” (Viagra, Cialis), dosagem (05mg, 20mg, 25mg, 50mg ou 100mg), se é genérico e quantidade de comprimidos e entregar para o atendente pegar os itens para você. Assim, evita que alguém que não seja você ou farmacêutico saiba o que você está comprando; – outra coisa, o que esperamos que o atendente seja treinado e educado o suficiente para entender que deve ser algo discreto.
Não se preocupe, não é a única opção. Se isso ainda te causa arrepios, existem farmácias virtuais, que resolvem o problema. Você compra, vem embalado, lacrado e você só precisa receber o pacote. O único cuidado que deve ter, é ficar em casa para que você mesmo possa receber e não venha ninguém abrir por curiosidade, ao invés de você.
Quando o homem tem uma idade mais avançada, a maioria não fica “acanhado” para comprar o produto na farmácia. Algumas vezes sente orgulho, por ainda ter uma vida sexualmente ativa.
Com o tempo estas barreiras vão diminuindo, todos os homens estão sujeitos ao problema e aos poucos vão tomando a consciência de que é algo natural na vida e tem tratamento.
Mesmo com todos os empecilhos, o Brasil está em segundo lugar na demanda do produto. Dá para acreditar?

Qual o melhor para mim?

Se você está pensando em adquirir algum medicamento ou produto que melhore seu desempenho sexual, provavelmente há muitas dúvidas passando na sua cabeça agora; – sobre qual escolher, efeito, quantidade, onde comprar o grau de satisfação que vai ter e à quem pretende proporcionar, não é?
Não se preocupe, são milhares pensando igual a você, tendo as mesmas dúvidas e sentimentos. Antes de qualquer coisa, sugiro que você procure um médico! Isso mesmo! Ele vai te recomendar a melhor opção e dosagem para seu tipo de corpo; – mesmo que você não tenha problemas de ereção e queira apenas experimentar por curiosidade ou até mesmo, dar uma “turbinada” na sua performance.
Conversando com pessoas que gostariam de comprar, inicialmente, a maioria ficou na dúvida entre qual escolher dos medicamentos. O questionamento principal foi: Qual é o melhor para mim?
Até chegar ao consumidor, os medicamentos, seguem uma série de normas e procedimentos rigorosos, todos tiveram sua eficácia comprovada antes de chegar às farmácias. O fator que determina o que vai se adaptar melhor; é o seu “bio tipo”. Ou seja, pode ser que para você o Viagra é mais recomendado e para outro homem o ideal é o Cialis, por exemplo.
Alguns itens que você deve levar em consideração antes de optar por um medicamento:
- Verifique se você tem alguma sensibilidade com algum componente do medicamento;
- Tempo de permanência do efeito no corpo;
- Dosagem adequada, pois há comprimidos que variam de 05mg a 100mg;
- Distribuidor autorizado;
- Facilidade em encontrar o medicamento;
- Preço.

Vale lembrar, que o componente principal do produto, não é igual para todas as marcas. O medicamento genérico respeita “a risca” a composição da versão original, a única diferença é que a fabricação não é feita pelo mesmo laboratório que desenvolveu o produto.
O uso inadequado de qualquer medicamento poderá causar danos à sua saúde, procure um médico.

Cialis

Recomendado para disfunção erétil (impotência sexual); – é um medicamento que tem causado bastante satisfação para os pacientes, tendo como composto base a Tadalafila, foi desenvolvido pelo laboratório respeitado, o Eli Lilly.
O Cialis é comercializado em embalagens de 02 e 04 comprimidos revestidos de Tadalafila composto de 20mg e 28 comprimidos com 05mg por comprimido, predomina a cor amarela, ministrado via oral, seu uso é indicado para homens acima de 50 anos.
Este medicamento é contra-indicado para pessoas propensas a problemas cardiovasculares, hipertensão e sensibilidade aos componentes da fórmula. Não é recomendado para menores de 18 anos e mulheres.
Seu lançamento deu-se depois do Viagra, também foi muito aguardado por alguns pacientes, pois seria mais uma opção de tratamento para o problema que atingem milhares de homens das mais diversas faixas etárias.
Ganhou grande fama, principalmente, devido à satisfação dos pacientes pelo efeito ágil e prolongado do comprimido.
De acordo com o fabricante o efeito é iniciado em aproximadamente 2 horas e tem a duração de 24 horas, pode variar de acordo com o “bio tipo” de cada um e funciona sob estímulo sexual, assim como o Viagra.
Seu preço é varia de acordo com a região, no Brasil, em cidades metropolitanas média é de:
R$ 75 e R$ 85 por comprimido de 20mg
R$ 08 e R$ 15 por comprimido de 05mg

Mesmo com o valor ligeiramente elevado, tem grande demanda atendendo inclusive homens com menos de 50 anos que buscam melhora no desempenho.

Alguns consumidores buscaram uma versão genérica do Cialis, por saber da opção de ter um valor mais atrativo, mas em território brasileiro, ainda não está autorizada a comercialização deste medicamento em sua versão genérica, por motivos de patente. A previsão para liberação é para 2016.

Sugerimos que procure um médico, consumir qualquer medicamento sem orientação adequada, poderá ser prejudicial à saúde.

Viagra

 

É um medicamento fabricado pela empresa PFIZER, sua composição base é o Citrato de Sildenafila. Uso adulto e via oral e são distribuídos em forma de comprimidos na cor azul. E possuem três dosagens: 25mg, 50mg e 100mg. Originalmente é comercializado em embalagens:
25mg – 04 comprimidos 50mg – 02, 04 ou 08 comprimidos 100mg – 04 comprimidos

Em algumas regiões, pode ser encontrada a venda do produto de forma fracionada, contendo apenas uma unidade, por cartela.

Utilizado para tratamento de disfunção erétil, mais conhecida como impotência sexual e é recomendado para homens com mais de 50 anos.
O acesso ao medicamento é fácil, mesmo sem receita médica, o paciente poderá adquirir o produto em farmácias ou estabelecimentos credenciados que possam vender medicamentos.
Desde seu lançamento no mercado farmacêutico, houve algumas variações nos preços praticados. No Brasil, a média de preço atualmente pode ficar entre:
R$ 12 e R$ 20 por comprimido de 25mg
R$ 15 e R$ 25 por comprimido de 50mg
R$ 30 e R$ 40 por comprimido de 100mg

As principais dúvidas sobre o uso do medicamento é em relação contra-indicações, o tempo que leva para começar a fazer efeito e sua duração.

O medicamento é contra-indicado para pessoas que tem hipertensão ou alergias aos componentes do medicamento. Não são recomendados para menores de 18 anos, mulheres, pessoas com sensibilidades cardiovasculares e usuário de outros medicamentos.
O efeito inicia em aproximadamente de 2 a 3 horas, sob efeito, permanecendo entre 3 a 4 horas. Segundo as orientações do fabricante, os efeitos podem variar de acordo com o paciente e só há efeito mediante estímulo sexual.
Foi constatado que homens de vários perfis (faixa etária, posição sócio econômica, etnia, credo, orientação sexual e outros) procuram o Viagra e similares, não somente para tratamento, mas também por curiosidade e melhoria no desempenho.
Já ganhou grande repercussão em todo o mundo por sua ação eficiente e satisfação de consumidores dos mais variados perfis. São produzidos por uma empresa com credibilidade em nível mundial, os pacientes sentem-se mais seguros em usar medicamento, mesmo sem recomendação médica.
A versão genérica do Viagra tem um preço mais acessível, tem ganhado sua parcela de consumidores, aos poucos sua demanda vem aumentando e mostrando confiabilidade. Os relatos dos pacientes que usaram a versão genérica, afirmaram que produto tem o mesmo efeito da sua versão original.
O uso de qualquer medicamento pode ser perigoso para sua saúde, procure um médico.